Tudo sobre a mandioca

22 de abril é o Dia da Mandioca, e como eu amo! Tem nada mais brasileiro, mais nosso do que ela, que já era a base da alimentação por aqui antes de os portugueses chegarem! Talvez seja por isso que todas as regiões têm pelo menos um prato importante com ela. Sem falar que é dela que sai a tapioca, o sagu, a farinha, indispensável na mesa brasileira.

Cada lugar do país tem um jeito de chamar essa raiz. Você diz aipim, macaxeira ou mandioca?

COMO PREPARAR
Crua: a mandioca contém ácido cianídrico, que é tóxico, e por isso não deve ser consumida crua. Basta passar por algum método de cozimento para eliminá-lo.

Cozida: a mandioca leva cerca de 45 minutos para cozinhar; assim, a maneira mais prática é usar a panela de pressão. Cuidado com o tempo de cozimento: a mandioca vai de firme a macia, quase amanteigada, mas se cozinhar demais, desmancha e vira sopa. Depois de cozida ela pode ser consumida pura ou ir além: pode ser então frita, virar arepa ou bobó.

Frita: antes de fritar, os pedaços de mandioca devem ser cozidos, do contrário a mandioca ficará crua, dura e seca. Dica: a mandioca deve estar cozida mas ainda firme para não desmanchar quando mergulhar no óleo quente.

Assada: antes de assar, a mandioca também deve estar cozida. O forno precisa estar pré-aquecido e os pedaços devem ser regados com azeite para ganhar um tom dourado. Eles ficam mais sequinhos e crocantes que os fritos. O jeito mais fácil é cortar os palitos depois que a mandioca estiver cozida firme.

Ensopada: cortada em pedaços menores, a mandioca absorve os sabores da preparação, fica macia e engrossa o caldo da receita. Nem precisa de panela de pressão.

Dica: a fibra central da raiz deve ser descartada (depois de cozida) no caso do preparo de purês ou sopas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba os novos posts diretamente no seu email.

Não enviamos spam